domingo, 6 de julho de 2003

Decidi aceitar que vivo num mundo fenomênico.

6/07/2003 22:19:15

Decidi aceitar que vivo num mundo fenomênico.

Isto de acordo com os preceitos da Seicho-no-ie.
Numa das revistas desta filosofia (não é religião porque não há pastores, padres e tipos assim. Há apenas preleitores, que são pessoas treinadas para auxilar outras a buscar dentro de si a vida de Deus), li que devemos criar o mundo que desejamos a partir de agradecimentos e perdão!

Cá estou tentada a mandar tuuuuuuuudo p´ro raio que o parta, mas crente que preciso dar o primeiro passo para alcançar o estado sublime de pedir perdão e a agradecer cada momento vivido.
Tirando a leve impressão, que é quase uma certeza, que estou indo p´ro fundo do buraco, tento me conformar, e reconhecer alguns pontos:
Talvez (ó dúvida cruel!!!) este esquema de perdão não esteja 100% equivocado, para tanto alego:
(Não acredito que escrevi esta frase que li acima!)
Em todos os Cânones sempre tem pelo menos uma passagem sobre como o perdão refrigera a alma e eleva o espírito

O site do barato segue:
www.sni.org.br, é só clicar em cima que a mágia acontece!

(Acho que estou perdendo tempo como escrava do Estado! Deveria virar pastora ou pelo menos oradora! A veia demagógica falaciosa eu tenho!)

Uma vez li que a dúvida ajuda a criar, mas que a dúvida eterna mata. Sinto que estou naquele ponto em que tudo o que rola na minha mente são dúvidas!
Dos mais variados tamanhos e neuroses. Fiz uma Ego Trip a alguns dias atrás, crente que só o fato de existir a vontade bastaria para eu encontrar a tão desejada paz de espírito!
Tô com a leve impressão que este esquema de escrever para desenrolar o fio da minha alma de certa maneira está me ajudando
Pelo menos mal não está fazendo...
P´ra finalizar o dia de hoje que não foi ruim, mas também não entrará p´ra história como o melhor dia do mês de julho, colocarei...
A fada sininho!
Boa Noite!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nada é imutável.
E opiniões auxiliam na tarefa de mudar mentalidades.
Tente a sorte, quem sabe você consegue...