terça-feira, 4 de agosto de 2009

Bloqueio seletivo - o fim!

Acabei de me dar conta que meu último post foi no dia dos namorados. E descobri isto quase 2 meses após.

Mais estranho que isto é só o bloqueio criativo seletivo que estou sentindo. Seletivo porque estava fazendo coisas muito agradáveis mais não conseguia escrever.

Neste período de ostracismo assisti três blockbusters (A era do gelo 3 - o melhor até agora, Transformers 2 - muito ruinzinho e Harry Potter e o Príncipe Mestiço - um belo filme a la sessão da tarde - ainda bem que paguei meia... doeu menos), redescobri o prazer de tricotar - não que eu seja A tricoteira, mas não faço feio. Consegui fazer uma toca fofa e dois cachecóis, além de assar bolos e bronnies. Ou seja, animação sem controle, mas nada de vontade de escrever.

O que me traz a este espaço foi um puxão de orelha virtual. Descobri por estes dias ao teclar com um amigo pelo MSN que eu estava necligenciando meu espaço de escrita, e que a falta de novos post era algo estranho, principalmente se considerarmos que eu sou uma pessoa verborrágica.

Ah! Neste meio tempo de desinteresse em escrever descobri um site de troca de livros. O Trocando livros. trocandolivros.com.br. O nome pode não ser dos mais criativos, mas a ideia é boa. O link está acima.

Considerando a quantidade de livros que desejo me livrar (literatura obrigatória, livros de auto-ajuda meia boca, livros estranhos que ganhei ou que surgiram misteriosamente em minha estante), espero que dê tudo certo.

Por citar atividades agradáveis que realizei nos últimos tempos temos a leitura de alguns livros: Os filhos de Anansi de Neil Gaiman, que eu adoro muito, por fim acabei de ler Harry Potter e as Relíquias da Morte. Demorei acho que uns 8 meses para criar vergonha na cara sentar e ler, coisa que fiz em duas horas (o que torna a demora mais vergonhosa, convenhamos), achei muito interessante, um belo derramamento de sangue com traições, mal-entendidos, ou seja bem adulto. Mal espero para ver a caca que será nas telas.

E temos a leitura de um blockbuster: os dois primeiros livros da Stephenie Meyer, no caso Crepúsculo e Lua Nova.

Não sei se todos os que lêem, se é que alguém lê isto aqui, já tiveram um contato obrigatório com José de Alencar, vulgarmente conhecido como o escritor de Iracema, a virgem dos lábios de mel, com o cabelo mais longo que o talhe da palmeira e mais negro que a asa da graúna, e do livro Senhora, aquele da mina que é pobre, toma uma bota do noivo meia boca, fica rica, casa com o mané e depois de fazê-lo passar por muita humilhação o perdoa e vivem felizes para sempre. Acabei de resumir um livro de 400 páginas em um único paragrafo.

E o que A Stephenie tem a ver com o Alencar? O gosto excessivo por descrições que em nada melhoram a história. No tal do livro Senhora temos capítulos e mais capítulos descrevendo o quarto da fulana cujo nome nem quero saber de lembrar. E no Crepúsculo temos exatos meio capítulo para a guria passar o dedo no braço do vampiro.

Sim, temos de tudo: o céu azul, os pássaros, as roupas, as árvores - por citar árvores, este livro, se não tivesse um excesso de descrições a la Bianca (aqueles livretos vendidos em bancas de jornal, cuja capa sempre tem uma mulher com cara de orgasmo preeminente e um cara com cara de é hoje!, sou obrigada a reconhecer que já li estes lixo, mas em minha defesa alego que estava num lugar chato, chovendo e só passava Globo!) muitas delas seriam salvas - no fim mais parece um longo capítulo de Malhação misturado com Rebelde (Sim, já assisti aos dois e sou obrigada a reconhecer que as minas do Rebelde se maqueiam muito melhor e os caras tem menos cara de gay). Acho que o livro só engrena alguns capítulos antes do fim. E que fim mais peba...

E temos a chuva intermitente, o tempo frio, a bem da verdade tudo contribui quando não se quer fazer algo, e eu não estava muito animada, o fato de sofrer de Sinusite (Sinusite é uma doença com base inflamatória e/ou infecciosa que acomete as cavidades existentes ao redor do nariz.) abcdasaude.com.br, não ajudava em nada a criar coregem e pensar em algo além de anti histamínicos (anti-alérgicos) e analgésicos para passar o mal- estar.

Mas estou melhor e animada (Alive and Kicking, já diriam os Simple Minds) e pretendo postar com mais frequência.

Sem mais Fui!

Para terminar um momento descolado:


Minha viagem da Buenos Aires antes da H1N1.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Vc esqueceu de levar o Balbi e eu para Buenos Aires...nem que fosse dentro das malas....Mas eu já te perdoei....Rsrsrs...

    ResponderExcluir

Nada é imutável.
E opiniões auxiliam na tarefa de mudar mentalidades.
Tente a sorte, quem sabe você consegue...