quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Aff Trabalho de Português...

Num momento de total e completa cara de pau, posto meu trabalho de português, em partes para facilitar minha vidinha caso precise reimprimir. Espero que as pessoas ao menos comentem...

Narração

Tinha de acontecer com eles?

Senso comum. Esta palavra causa arrepios de horror nela, que não conseguia entender como pessoas dispares podiam ser levadas a considerações parecidas, algo, a seu ver, incongruente, mas o que ela não sabia era que isso estava para mudar.
Aquele amanhecer não predizia nada de anormal, acordou no horário de sempre, comeu e foi ver os emails, como fazia diariamente. Uma mensagem lhe chamou a atenção, antes não o fizesse. Era um pedido de seu amigo, uma pessoa muito querida, lhe pedindo para que ela o acompanhasse até a casa da avó, que estava doente, precisando de companhia. E ela, após pensar um pouco sobre o assunto, decidiu o acompanhar, seu dia estava sem muitos afazeres e imaginou que uma viagem de curta duração lhe traria um pouco de animação, só não sabia o quão animado seu dia seria.
Ligou e marcou na estação de trem onde, após abraços e cumprimentos, foram comprar a passagem. Nisso um senhor respeitável aproximou e perguntou se eles se dirigiam a uma determinada cidade, e quando eles confirmaram pediu para poder acompanhá-los, alegando não enxergar bem. Durante a viagem o amigo disse que tinha visto o senhor logo atrás deles no guichê de compra, onde eles conversavam animadamente sobre para onde iam e quem iriam ver, mas a amiga desviou o assunto alegando que isso era apenas mera coincidência.
Nisso viram o tal senhor que não enxergava bem mandando mensagem pelo celular, e quando o mesmo percebeu que ambos o olhavam sorriu e falou que pediu para um amigo o encontrar na estação para levá-lo para casa com segurança, e neste momento a garota se lembrou de um conto que seu pai contava para niná-la, o nome da história lhe escapava, mas o enredo era sobre uma pessoa que ia visitar a avó e o resto não lembrava, mas algo a incomodava e ela começou a prestar mais atenção a palavras do amigo, que de tempos em tempos lhe dizia que se sentia preocupado.
Então a viagem acabou e o tal senhor se ofereceu para levá-lo a casa da avó, coisa que os dois decidiram não aceitar, apesar da insistência do homem, e de repente se viram em uma situação assustadora: um segundo homem apareceu e tentou segurá-los pelos braços. Depois, ao analisar a situação, nenhum dos dois sabe explicar com clareza como escaparam dos homens, mas quando deram por si um segurança apareceu e perguntando sobre o que estava acontecendo e neste meio tempo os estranhos foram contidos e levados pelos seguranças que seguiram o primeiro. Passado o momento de pânico decidiram continuar a viagem e logo de estavam dentro do ônibus que levava a casa da avó.
Lá chegando contaram o que conseguiam se lembrar à velha senhora, que lhes disse que ouvira no rádio que dois homens ligados a pedofilia foram presos na estação após abordarem dois jovens. E então a garota se lembrou do nome do conto-de-fada que seu pai costumava lhe contar: Chapeuzinho Vermelho, e no conto tinha um lobo cruel que perseguia a menina e a avó, tal como os homens perseguiam a ela e seu amigo e se não fossem os caçadores/ seguranças chegarem a tempo ela não sabia o que lhes teria acontecido.
E então ela descobriu que o senso comum nem sempre era algo estúpido e que surpreendentemente ela tinha passado por uma situação parecida com um conto do século XVI em pleno século XXI. E que eles tiveram sorte e podiam contar aos amigos suas desventuras, mas sempre ficava no fundo de sua mente uma pergunta, como uma obsessão: “Tinha de acontecer com eles? Logo com eles?”

E é só pessoal!

Muito Obrigada.
Fui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nada é imutável.
E opiniões auxiliam na tarefa de mudar mentalidades.
Tente a sorte, quem sabe você consegue...